domingo, novembro 22

Regressar cedo e sem medo

Quando se ama tantas vezes, sofre-se outras tantas. Ou um pouco mais. Tanto quanto os glóbulos que pulsam na correnteza de vida. Só queremos que perdure na imortalidade da nossa validade. Há afectos que nos transcendem e minorizam outros mais acanhados. Por hoje, nem sequer o Benfica me rala. A Taça não me maça. Que a Marta volte depressa e sem pressas de crescer

2 comentários:

SO disse...

Um beijinho grande e que o regresso se faça bem e sem atropelos... :)

K.A.B.G. disse...

Força, força para todos e para ela!