segunda-feira, maio 11

Bookmates

Ler é impulso intimista de absoluto resguardo. Ler é quase segredo de Estado. O livro é propriedade privada, não alvo de orgíacas dedadas salivares para acentuar o atrito. Não me imagino a lançar para as mãos de centenas de badalhocos o Os Coxos Dançam Sozinhos, Entre os Vândalos ou o Coca-Cola Killer. Não sei se escarafuncham o nariz ou se aliviam a micose da virilha enquanto nutrem mais um parágrafo do Maestro Vitorino de Almeida. Sob o pretexto de combater a iliteracia, o bookcrossing anda a ramificar-se em Portugal. Dizem que já somos o 10º país no Mundo com mais aderentes a este bacanal de páginas, não fossemos nós um país pequeno em áreas mas grande em desvarios. Parece que há dias decorreu um congresso em Ovar com estes desequilibrados, que partilham, sem cuidados de higiene, as mais íntimas obras de prateleira. Parece que no referido evento, discutiram, por exemplo, quantas folhas conseguiam dedilhar sem salivar o indicador. Depois, publicitam as destrezas manuais em sítios especializados na internet. Freaks!

1 comentário:

Cheese Maker disse...

cala-te que n foste pq tavas a ver a bolas... de ténis!