segunda-feira, junho 23

À minha taça

Se fosse como aquela gente sensível que verte lágrimas à primeira contrariedade, precisaria, no dia de hoje, de uma boa dúzia de alguidares para recolher a angústia do fim de um ciclo. Acabaram-se duas gloriosas, e extremamente calóricas, semanas de estupidificação. Há muito tempo que não me lembrava de tanto muito de nada fazer. Amei incondicionalmente a minha filha, bradei contra a repugnante gulodice da Maria, que aviou descampados de ranhosas caracoletas, injuriei o fura-redes Ricardo Labreca e, que me lembre, ainda tive tempo, nos intervalos do sofá, bola e tremoços, de me amantizar a uma loura transpirada. Enrolei-me na sua matéria trigueira, sorvi-lhe o néctar embaciado e degostei-lhe, vezes sem conta, o licor gélido da sua essência. Findaram-se (estas) férias e eu, homenzinho, brindo a isso e à Erdinger, a única loura capaz de rivalizar com a raisparta-a-Maria-que-por-muito-que-enfarde-não-engorda-uma-grama

2 comentários:

Florença disse...

Também voltei de umas idênticas férias mas ao contrário da Maria, regressei com mais 1 kg em cada nádega.

Há nádegas sortudas ;)

Avelã disse...

ahahahahahah é mesmo uma batalha ultrapassar os primeiros dias pos ferias, força aí moço.

essa tua maria alem de gira ainda tema a sorte de nao engordar, estapunha