domingo, outubro 22

Pudinzinho Royal

Foram uns bons três anos de namoro. Cheguei a ponderar desembolsar uns valentes 600 euros para adquirir o único exemplar disponível no mercado (legal!). Umas chapadas da Maria recolocaram-me no mundo terreno e desencorajei-me. Pelo mesmo valor, adquiri umas três estatuetas da mesma saga, mas junto de um fornecedor mais popularucho. Sim... podemos ter umas abertas de lucidez, mas o transe fica para sempre. Faltava-me o Royal Guard. Um tipo caladinho, mas com presença. Populou o meu imaginário infantil, a par do mais mediático Darth Vader. Três anos volvidos, a sangrar de carências, uma outra instituição de caridade lembrou-se de distribuir um muito mais giro e a preço acessível. Selei hoje o negócio, mas só aterra nas prateleiras de casa lá para Dezembro. E o mais engraçado é que a transacção foi coberta pelo cartão de crédito da Maria. O amor é lindo!

6 comentários:

flower power disse...

lembra-te de Paris...

Anónimo disse...

ah pois... eh eh eh eh!

Joana disse...

pah n tou perceber..... pelo vistos, se este desperdicio de "éurios" foram "cobertos" c o cartão da "Maria" quer dizer q os bilhetezinhos de avião c destino a Paris, 1 semaninha no minimo, foram pagos c o teu? tá bem tá bem... a "Maria" q não se ponha a pau.....

Florença Maria disse...

bahhh! Cena de gajo levantado a n+1. Só não entendo o aval do cartão da Maria. Bahhh (redundante mas necessário)!!

Woman disse...

Uma no cravo e outra na ferradura. Umas valentes chapadas seguidas de um cartão de crédito. É assim mesmo que se educa. À Senhora Dona Maria os meus respeitos. ;)

Beijos

Woman disse...

Também é cada transe oh Fogacho... Oh valha-me deus...