segunda-feira, fevereiro 26

Helenannibal

Tal como previa a bolsa de apostas, esta senhora arrebatou o óscar de melhor actriz. Mas poucos sabem que, muito antes de se ter clonado da verdadeira Elizabete, a Helena granjeou fama no meio cinematográfico por ter protagonizado uma das mais escaldantes cenas da prática copular. O reinado de Margareth Thatcher estava em período de finados, junto com o seu molde capilar enlacado. Antecipando a queda da líder conservadora com sapatos ortopédicos, Peter Greenway decidiu criar, em finais de 90, uma divertida alegoria ao Thacherismo, e a brincadeira resultou numa obra-prima de requintado humor negro: O Cozinheiro, o Ladrão, a Mulher e o seu Amante. À Helena calhou o papel de esposa do bandido, proprietário de um suspeito restaurante, meio de práticas canibais correntes. Farta dos bárbaros hábitos do alarve esposo, Helena compensava-se afectivamente incestuando com um culto livreiro. Ficou então registada em pelicula uma original rapidinha sob a aduela de uma porta. Nunca experimentei, mas garantem-me que é figura de complexa exequibilidade, só ao alcance de ginastas de alta competição. Não bastasse o mérito contorcionista, Helen Mirren brinda-nos com um género de segundo folego para os mais corajosos: depois da traulitada com o amante, ainda tem pulmão, ou estômago, para comer o marido

1 comentário:

Florença disse...

Eu vi esse filme. Um bocado freak e tal mas delicioso qb :P