quarta-feira, dezembro 13

Cagonia

Tomo-vos hoje algum tempo para o merecido tributo ao nosso engenheiro dos sanitários e demais inutilidades. O senhor engenheiro, Pinguim para os mais íntimos, cumpre nos desígnios mandatados pelo patronato. É justo reconhecer que a atacarracada figura não tem mãos para tanto serviço. Desde o fusível esturricado à maçaneta da porta afrouxada, todos os acidentados imprevistos são zelosamente anotados no caderninho de incumbências. Cansa de tão pronta a prontidão do Pinguim. Com meia dúzia de andares ao encargo, vão-se acumulando as anotações e desbastando árvores para alimentar a celulose amarelecida dos post-it do senhor engenheiro. Além do critério no cuidado da infra-estrutura que nos alberga, o Pinguim gosta também de controlar o parqueamento. Na sua fronte, o edifício desta empresa exibe orgulhosamente uma interminável linha amarela, que o Pinguim tratou de rabiscar com a sua trincha de pêlo de morsa. Infeliz seja o aventureiro que se atreva a calcar o quilómetro de tinta tingida sobre o pavimento. Segundos volvidos, um exército de agentes da Direcção-Geral de Viação e toda a infantaria da Brigada de Trânsito vem pedir contas ao criminoso que maculou a expressão plástica do Pinguim. Espero que a comparticipação da Emel nos 2,5 euros requisitados para arrumar diariamente a viatura no proxeneta parqueamento sirva para o senhor engenheiro se dignar a trocar de vez o autoclismo da latrina do segundo andar. É que já estou um bocado cansado de mergulhar a mão na água para levantar a rolha do engenho

4 comentários:

carla disse...

ai fazem-te uma espera fazem-te...

Noriega disse...

Eu não vou comentar isto porque a minha vida profissional pode depender disso e não posso enervar a entidade patronal...
Mas não posso deixar de concordar!!

Woman disse...

Fogacho, cá estou eu, de asa pronta.
Um beijo ;)

Woman disse...

E aconteça o que acontecer, nem eu fazendo birra e desaparecendo por uns tempos, tu tiras a porcaria das letrinhas que teimam em implicar comigo...

Chiça para ti homem...

Fazes ideia de quantas letras tenho aqui em baixo agora? Não se justifica...