terça-feira, dezembro 12

Pêlo sem desvelo

Pêlo meu que desbota
Pêlo dele que só brota
Tem pêlo que nasce assim
Num revolto frenesim

O meu cai do cocuruto
O dele prospera, astuto
Oh cabelo que me escapas
Que no dele firmas como estacas

A cabeleira mirra em calvicie
E aponta-me, bruta, à velhice
A dele cresce emaranhada
A minha desfalece encalacrada

Adeus pêlo, que me deixas
Para no outro alindares madeixas
Some-te na àvida cobiça da laca
E espeta-te na carapinha do Chewbacca

Arre, com a breca, que estou a ficar careca

4 comentários:

carla disse...

DERCOS...
aconselho DERCOS....

Florença Maria disse...

Pá, eu sou gaja e padeço do mesmo mal. Fui ao dermatologista e o gajo receitou Folstim. Aquilo é um milagre. Compra, a sério!

Anónimo disse...

Oh pá, o Juba de Leão, vendia-se em frascos nas drogarias, pode ser que ainda haja!!!

Woman disse...

Não te preocupes que é dos carecas que elas gostam mais (confesso que acho que isto foi inventado por um careca, mas nesta altura pareceu-me bem)...

Que tal tudo a máquina zero? Usa-se... ;)

Beijosss