terça-feira, janeiro 16

Borra de vida

Aqui no burgo, quem, porventura, preferir aliviar-se de casaco, usufrui de todas as condições logísticas para pendurar a indumentária sobre o cabidezinho aparafusado, com rigor, às traseiras da porta. Mas depois deverá arregaçar as mangas para accionar o autoclismo. Vide como jaz a tampa no canto superior esquerdo do compartimento. Reparai quão alva repousa, em contraste com a água pútrida que devia encobrir. E o zingarelho que de lá emerge e nos ajuda a desenrascar a descarga. Não esquecendo que o piaçaba, de tão pouco uso, está grudado na sua base nada asséptica, que nos obriga a contrariar, de cócoras, o vácuo entre a esfregona e o baldezinho do artefacto. Para cagar, sai-se de lá mais cagado que a cagada que cagámos

4 comentários:

Florença disse...

Porra pá. Que ate nos tira a vontade...

carla disse...

bolas, n deveria de ter lido este post!
n deveria...
so um coxinho...
vou ali vomitar e já venho...

flower power disse...

e no wc feminino também aconteceu o mesmo...

Joana disse...

NOJO, És um nojento....

bolas, carambas, caraças...