domingo, julho 9

Campeões da cabeça erguida

Vamos cingir-nos à frieza dos números. Sabiam, os meus caros amigos, que o Uruguai já foi campeão do Mundo (1930)? Que a ex-Checoslováquia cheirou de perto a Taça por duas vezes (1934 e 1962)? Que a Hungria (1954) e a Suécia (1958) também figuram na galeria dos quase-campeões? Pois, já foi há uns anitos, é provável que não se lembrem. Mas há mais. Essas grandes potências futebolísticas como a Áustria (1954) ou o Chile ((1962) foram os campeões na final de consolação. Ou seja, fizeram melhor que Portugal na Alemanha. Na história do torneio, ficámos a par de selecções como a da Bélgica (1986), Bulgária (1994) ou... Coreia do Sul (2002). Sim, não se trata de qualquer gralha. Estas selecções fizeram exactamente o mesmo que a nossa constelação de estrelas. Está bem que tivemos azar, que fomos roubados e que o Scolari só reparou que tinha o Nuno Gomes no banco quando o artilheiro do Benfica pediu timidamente para ir fazer xixi ao balneário. Mas mesmo com todos estes factores extra-futebol, vamos ser rapidamente esquecidos nos documentos históricos da FIFA. Mesmo assim, levámos hoje 20.000 taralhocos ao Estádio Nacional. Obviamente a maioria do género feminino, que ainda continua a pensar que Pauleta é uma estaca que se crava no meio da pequena área.

2 comentários:

Joana (a irmã) disse...

e eu nunca mais como queijo tipo flamengo!!!

Anónimo disse...

machão da mer.....
ai as mulheres pensam que pauleta
é uma coisa qualquer que se espeta numa qualquer coisa?!
pois é não vais longe, não!