quinta-feira, novembro 9

Dar-te forte

A ambição humana pela imortalidade aparafusar-nos-á inevitavelmente a caixilhos e rolamentos num futuro muito próximo. Num mundo que se adivinha um imenso bairro social, com famílias encaixotadas em estruturas de 40 andares, o presente trata de oferecer pistas para o que poderá aí vir. Para melhores esclarecimentos sobre o futuro, contamos com os visionários. Lembro-me, por exemplo, de George Lucas, que nos ficcionou o melhor exemplo da ambição do respirar perene. Sorrateiramente, atribuiu o ensejo da eternidade aos instintos mais negros dos mortais a baptizou-o de Darth, Darth Vader. Com a ajuda de uma complexa maquinaria, Darth ameaçava o bem, mas, apesar de prevaricar, granjeava adeptos entre os mais diversificados escalões etários e sociais. Continua a ser o vilão mais popular, mas hoje está confinado a um recanto obscuro no Museu da Electricidade. Besuntaram-lhe as solas com Araldite e deixaram-no a enferrujar por alí, sem a dignidade de outrora. É injusto. A Elizabeth Taylor enterrou 38 Lassies e prepara-se para nova boda e ainda ninguem aparafusou a múmia ao Museu de Arte Antiga

3 comentários:

Woman disse...

Como vês imortal só assim, aparafusado pelas botas... Nem George Lucas conseguiu a eternidade com o seu Darth Vader.

Um beijo

Woman disse...

Fogacho, já tiravas as letrinhas, chiça. Será que tenho de encabeçar um abaixo assinado?

carla disse...

Boa Woman, boa!!!
Assinei!



Oh Fogacho, vai lá ao museu vá... E leva a capa p'ra te sentires em casa!