quinta-feira, novembro 30

É Matal!

A época natalícia que se avizinha e a passeata do Bento Ratzinger pelo Bósforo reanimaram-me o conto predilecto nas tertúlias com o refugiado belga. Há uns anos atrás, a verdura de um estagiário neste estabelecimento de doidos era amadurecida com traduções de novas do estrangeiro. Com a candura de iniciante no mercado de trabalho, o jovem examinando canalizou cinco anos de curso universitário numa missiva de uma reputada agência internacional anglófona. Noticiou o aprendiz que a época que celebra o nascimento de Cristo recupera anualmente a milenária tradição da degola de turcos. Excluíndo algumas zonas do planeta mais carenciadas, praticamente todo o mundo civilizado se empenhava no ritual de matar turcos. Mandava o hábito festivo que se estripasse uns valentes milhões de turcos para o repasto da ceia. Por imperativo bíblico, os turcos afagavam o estômago das famílias, que em retiro íntimo de confraternização, agradeciam à divindade o recheio do prato. O aturado trabalho do noviço resultou numa bela e comovida prosa, não fosse a particularidade de um ligeiríssimo descuido de tradução, que quase desencadeava um conflito institucional com a Associação de Produtores Avícolas

2 comentários:

flower power disse...

são as complexidades da língua e os perigos da tradução...mas será que a coisa para o jovem fazia sentido?? degolar turcos na época natalícia?!?!

durao barroso disse...

Gosto particularmente da ilustração, ideal para acompanhar o dito take na manchete do site, nao fosse um picuinhas de um editor mudar turcos por perús.