quarta-feira, agosto 16

Armários filantropos

Está na altura de varrer com os empoeirados detractores desta modalidade. O grupo de intelectuais que os apelidam de armários acéfalos esquece-se que foram estes senhores robustos que há uns 20 anos atrás projectaram Portugal à escala infinita da mediatização. Nessa altura, começávamos a estender a mão aos inesgotáveis fundos europeus e já havia quem engendrasse a melhor maneira de trocar o numerário por ferraris e porcelanas chinesas. No meio desta anarquia subsidiária, os strongmans decidiram arrastar camiões TIR na baía de Cascais. Emocionei-me de orgulho. A imprensa internacional especializada mostrava a bela costa portuguesa e aliciava potenciais capitalistas. Foi a prova cabal que estes homens vigorosos possuem um coração meloso por debaixo daquele cobertor de tecido muscular testeronizado. Esquecem-se os maldizentes que a força bruta pode mover esferas de cimento, mas também erguer o orgulho aos píncaros da vaidade patriótica. Estes sim, foram uns heróis (à beira) do mar, nobres e valentes de uma nação em eterna dívida. Bem hajam

3 comentários:

flower power disse...

eu, detractora assumida, tenho a dizer que esta "coisa" nem modalidade se pode chamar! isto lá é desporto! e dá a SportTV tempo de antena a estes "bisontes"... Valha-me Deus!

Woman disse...

Viva os camiõs TIR e quem os reboca, fiquei convencida. Não sei bem até quando, mas até passar ao próximo post, ninguém me demove da minha convicção...
:P
Beijo

fogacho disse...

Viva. Vivam! Finalmente uma apreciadora da verdadeira modalidade nobre. Qualquer dia debruçar-me-ei sobre a luta na lama