quinta-feira, agosto 3

O tempo só anda para a frente

Pensava a Isabella que isto era só apanhar boleia dos genes da Ingrid Bergman e garantir uma estampa eterna. Misturar o gélido sangue nórdico com a irascibilidade latina pode proporcionar resultados exóticos, mas não oferece a imortalidade. Qualquer dia, também eu vou ter de me conformar com as rugas da Helena Christensen, mas até lá, outras pombas vão caindo. Neste caso concreto, isto não é de agora. Já lá vão uns anos, quando uma conhecida multinacional de produtos estéticos correu com a rapariga. Caiu o Carmo e a Trindade entre a comunidade de pré-reformadas. Aquilo era a mais terrivel forma de apartheid e não-sei-quê, quando apenas se tratava da selecção natural das coisas. Entretanto, conheço certas e determinadas pessoas que andam com auto-colantes nas coxas a alisar a esperança num elixir da juventude

4 comentários:

Woman disse...

Para quê revolta, com a ordem natural das coisas?...

Beijo

fogacho disse...

calmo, muito calmo. apenas um testemunho da devastadora cronologia dos anos acumulados

0.0 disse...

cada vez mais LINDA,

(mas atenção que na segunda foto ela não está maquilhada...)

se antes os dedos saltavam na sua pele esticada como um trampolim
agora os dedos percorrem cada sulco da pele como um mamífero em busca da toca...

fogacho disse...

isso qualquer timpano mais asseado serve para o mesmo ensejo ;o)