sexta-feira, agosto 4

Frustrado e mal pago

Numa optica mais pessimista, podemos dizer que, feito um aturado balanço dos deve-e-haver, a vida não oferece grande justiça. Eu acho que devia ser milionário. Em vez de estar aqui nestas parvoíces, rabiscava umas coisas numa tela e vendia a criação a preço de um T5 em Telheiras. Mas não. Quis Deus brindar essa fortuna à borderliner Paula Rego. A mulher nem sequer acerta com o rimel, mas cada necrose que idealiza é logo transaccionada por milhares de euros. Não entendo. Sinceramente não entendo. E já nem falo das bufas que aparecem por aí. Ou dos quadros que denunciam o resultado de uma lata atirada à pinha da conjuge. Não é excessivo choramingar. Tenho lá em casa um monte de tralha, como a que pode ser testemunhada em anexo, a alojar populações de ácaros. A minha criatividade é, neste momento, um pirolito depois de uma amona à traição

5 comentários:

Woman disse...

Nem toda a gente contexta a arte com tanta coragem. Estou contigo. Sobre seres milionário... era mais útil se fosse eu presenteada com essa sorte. Acredita.:D

Beijo

fogacho disse...

woman: a senhora faça o favor de se colocar atrás na bicha que eu disse primeiro

Woman disse...

Na bicha? :D

Beijo

fogacho disse...

se alguma vez escrevesse fila concederia a todos a oportunidade de questionar a minha masculinidade ;o) Bicha é que é!

Woman disse...

Estou esclarecida meu caro. :D
Beijo