sexta-feira, agosto 18

Doce fel

Pela cidadania checa, estranho a origem conceito. Na República Checa é complicado testar a teoria, derivado da manifesta insuficiência de mulheres feias. Ora, não chegando para emparelhar com o esmagador número de bonitas, Milan Kundera, insiste, mesmo assim, na cumplicidade interesseira das amizades femininas. Julgo que nos Contos de Amor Risíveis, o autor defende que a melhor amiga de uma mulher bonita é sempre feia. E porquê? Porque a mulher bonita julga que a excelência estética multiplicar-se-á se confrontada com uma espécime menos dotada. Mas não se precipitem em solidarizar-se já em mimos de piedade com a amiga feia, que ela também é fresca. Kundera complementa a teoria reforçando a ideia de reciprocidade e lucros repartidos. Não só a bonita capitaliza a proximidade da feia, como a feia retira também dividendos da relação. Espera a feia que, ladeando a bonita, possa, eventualmente, ser iluminada pela formosura da parceira e arranjar finalmente um principe pitosga. São mesmo tortas as mulheres

2 comentários:

Woman disse...

Isto é o chamado efeito de hospedeiro, já que tanto uma como outra tiram partido. Nenhuma é parasita. Somos tortas mas inteligentes ao ponto de tomar este tipo de atitudes. É preciso ter massa cinzenta e fazer uso dela, entenderam senhores machos?
:P

fogacho disse...

olha... nós somos mais lúdicos e jogamos à bisca!